domingo, outubro 21, 2007

Natal é quando um homem quiser


A Mariana era uma grande amiga minha no liceu. Era sempre a melhor aluna, aos 5 do 9º ano seguiram-se os 17 e 18 do complementar. Separámo-nos na faculdade e fui sabendo notícias dela através de uma amiga comum e encontrávamo-nos casualmente em festas de anos. A Mariana era perseverante e organizada, tudo para ela eram etapas e tarefas que com determinação ia completando. Mas a menina que conseguia tudo, não conseguia engravidar. Primeiro com esperança e depois com desespero percorreu o calvário das tentativas, das inseminações, dos meses contados, esperados, desiludidos.
kdn lk n
Mas este Natal a Mariana vai ser mãe. A Filipa e a Carolina com quase 2 e 4 anos, vão ter pais.
lks
A menina que sentiu a desesperança, está grávida e espera ansiosa o dia em que na sua casa correrão pezinhos de criança. Dar à luz pode ser do interior para o exterior, ou do exterior para dentro do coração. Todas as crianças têm que ser adoptadas, pois os filhos nunca são o que se pensa ou espera, há sempre a sua alma, a sua personalidade que se mete no meio dos sonhos paternos. A Filipa e a Carolina duas irmãs, vão encontrar colo e olhar. Estou tão feliz por todos...
A Filipa e a Carolina vão deixar de ser duas das 16,000 crianças institucionalizadas em Portugal.

2 Comments:

Blogger Ana Rute Cavaco said...

que bom!

22 outubro, 2007 15:02  
Blogger Madalena said...

Há quem nos faça agradecer à vida estarmos vivos para sabermos que há pessoas como a Mariana.

01 novembro, 2007 11:28  

Enviar um comentário

<< Home