quarta-feira, fevereiro 06, 2008

Rotas e Destinos


Há 10 anos atrás saía eu da 1ª Igreja Baptista com o coração destroçado. Penso que sair da igreja onde se cresceu é sempre doloroso. Nada pode substituir o sentimento, as memórias, o sorriso que anos de convívio nos dão. Da 1ª guardo muitos amigos, muito conhecimento bíblico e mega-produções teatrais.

Desci 2 estações de metro, Almirante Reis abaixo, e acolhi-me na Igreja Presbiteriana de Febo Monis. Nessa altura os jovens da comunidade tinham um projecto chamado "Igreja Aberta" e todas as terças-feiras um grupo de jovens abria a igreja e dispunha-se a conversar com pessoas que quisessem entrar na igreja para falar de fé ou da vida, para tomar um cafezinho, ou somente entrar no templo e ficar em silêncio.

Ao longo dos anos que funcionou, as pessoas foram debandando e ficaram apenas dois resistentes: o conversado e eu. Passávamos horas a conversar (mais eu) e a tocar viola (mais ele). Ficámos amigos. Mas foi preciso eu ir para Espanha para que a saudade nos explicasse o que achava de nós.

Lisboa, Madrid, Lemede. A distância é uma presença na nossa relação.

Ontem ficámos noivos e eu estou muito feliz. Há 10 anos atrás a Febo Monis foi porto de abrigo. Querendo Deus em Julho será cais de partida.

1 Comments:

Blogger Ana Rute Cavaco said...

ena, que boa notícia! viva!

07 fevereiro, 2008 10:53  

Enviar um comentário

<< Home