sexta-feira, junho 06, 2008

CASA NOVA, VIDA DESENCONTRADA
Caixas, caixas, caixas. A minha vida empacotada em caixas de papelão que, de certo, um duende move do sítio todas as noites. Impossível encontrar seja o que for.

MEO CULPA
Como mudava de morada telefonei logo nos primeiros dias de Maio para a PT para dar início ao processo que já antevia longo. 15 dias disseram-me.
A PT fiel a si própria cumpriu as minhas expectativas. Estou há uma semana na casa nova sem net e sem telefone.

IKEA
Tenho metada dos meus móveis ainda em casulos, prontos a se tornarem borboletas, mas para isso preciso da legião das chaves de fendas e das maquinetas de aparafusar. Amigos, ovelhinhas simpáticas eis que há mais tábuas para aparafusar...

CASA NOVA
É estranho um novo espaço a que é suposto chamarmos nosso. Tudo parece estranho. Mas é suposto chamarmos lar a estas paredes que ainda não me dizem nada.

EMPREGO
O prometido andou de porta em porta - melhor de portão em portão - a entregar currículos. A situação é complicada. Os portões estão ainda fechados.

1 Comments:

Blogger Ghernandes said...

Tudo tem seu tempo determinado
Deus abençoe
www.thepescador.blogspot.com

09 junho, 2008 18:39  

Enviar um comentário

<< Home